Eu não passo em concurso porque não tenho material…

16872-NQT6EGOpa, tudo bem? Sou eu, de novo, pra falar sobre umas paradas aí meio desconfortáveis.

Eu acreditei, durante um tempo, que o que me faltava pra passar em concurso era material…

Olha… acho que até 2004, 2005 essa era até uma desculpa, viu? Mas mesmo assim, meio tosca.

É que… nós somos bibliotecários, sabe? A gente pode não ter a informação, lá, parada na nossa estante. Mas a gente sabe onde conseguir. Sabe, sim. A gente estudou. A gente trabalha com isso. A gente salva vidas/carreiras fazendo isso.

Aí a gente tem que colocar a mão na consciência e ver se o que tá faltando é material/grana mesmo, ou se é criatividade/motivação/disciplina.

Se for por falta de criatividade, esse post vai dar jeito. Mas se for falta de vergonha na cara, me manda um e-mail aí que eu faço o esculacho. #HueBR

– Ain, Talita, os livros são caros!

– Ain, Talita, mas os livros na nossa área estão esgotados!!! Os autores estão todos mortos e as viúvas não republicam as paradas…

– Ain, Talita, quase não tem curso pra gente!

– Ain, Talita, miabrassa! :________(

Parou, seus mimizento!

Credo, que mentira! Ok, tem muito livro bom esgotado mesmo. Mas dizer que geral morreu é bem exagerado.

Sei bem que dinheiro costuma ser um limitador pra tudo nessa vida… Mas eu tenho orientado minha vida pra utilizar cada vez MENOS (até buscando zerar mesmo!) o uso de fontes piratas do que quer que seja. Parei de baixar música e filme, por exemplo. E parei de tirar xerox de livros na íntegra.

E nessas horas a gente faz exercícios de criatividade. Se liga:

  • Muitos autores, antes de publicar seus livros, publicam ARTIGOS. E tem um monte de periódicos com textos integrais online, na nossa área mesmo! Quer ver? Seguem uns aqui…

    1. Revista Ciência da Informação – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0100-1965&lng=pt&nrm=iso

    2. Revista Perspectivas em Ciência da Informação – http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=1413-9936&lng=pt&nrm=iso

    3. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação – http://rbbd.febab.org.br/rbbd/issue/archive

    4. Cadernos de Informação Jurídica – http://cajur.com.br/index.php/cajur/issue/archive

  • Autores bons citam autores bons: se você não tem acesso ao texto original, procure artigos de autoria dos seus professores da faculdade, por exemplo. Geralmente, os principais conceitos, retirados dos autores consagrados, estarão nestes artigos também.

  • Algumas editoras estão vendendo os livros em formato digital por um preço um pouco mais acessível. A Editora Briquet de Lemos, por exemplo, faz isso. (Não é jabá, mas poderia ser. Alô, Briquet!!!)

  • Somos bibliotecários! Sabemos bem que o que não existe em nossas bibliotecas pode ser solicitado em outras bibliotecas, seja por COMUT, seja por projetos/programas de colaboração entre bibliotecários. Se você não está atuando, é provável que precise ir a alguma biblioteca no seu bairro pra utilizar o programa de comutação bibliográfica. Mas vale a pena.

  • Crie redes de colaboração. Empreste livros, pegue livros emprestados com seus amigos. Empreste seus resumos, leia o resumo dos outros. Quando estamos falando de estudo para concurso, concorrente só é concorrente na hora da prova. Sempre estudei em grupo, com colaboração e meu sucesso (e o dos colegas!) veio. Quanto mais a gente colabora, mais coisa boa vem pra gente.

  • Ainda sobre redes de colaboração: que tal combinar com 2 ou 3 colegas uma compra coletiva? Cada um escolhe um livro, e tem o prazo de 3 ou 4 semanas para estudá-lo. O grupo faz rodízio dos livros e todo mundo estuda 3 ou 4 livros pelo preço de um. (Fora que o compromisso sempre estimula a gente a cumprir metas!)

  • Lembre-se: dificilmente você vai estudar 200 livros de uma vez. Você não precisa ter acesso a todo o conteúdo ao mesmo tempo. Muito menos comprar. Se você tiver acesso a um livro, seja por meio de uma biblioteca ou porque um amigão emprestou, aproveite. Estude, faça um bom resumo, capriche nas anotações. É nisso que você vai basear suas revisões, não é mesmo?

  • Nem todos os livros são cobrados na íntegra nas provas. Você pode selecionar um ou dois capítulos mais importantes para ter uma cópia em casa e consultar, sem infringir a lei de direitos autorais…

  • Existem vários blogs e sites publicando conteúdo para concurso. Aqui no Santa Biblioteconomia, mesmo, a Thalita costuma postar questões comentadas, resumos de livros… DE GRAÇA, HEIN? Que tal montar um dossiê numa pasta do computador, ir estudando/revisando essas dicas?

  • Pense sempre como bibliotecário! Quando me dediquei forte aos estudos sobre a lei 8.112/1990, aproveitei pra fazer um tesauro da lei. Estudei a lei toda, e ainda estudei um pouquinho de biblio no processo! (Fora que o material ficou tão legal que hoje em dia meu irmão usa no trabalho dele! E o chefe dele vive pedindo emprestado!)

Por fim, tenha em mente que quantidade não é qualidade: mais vale um único artigo sobre catalogação MUITO BEM ESTUDADO, do que um monte de livro bacana sobre as AACR2 empilhado nas estantes, pegando poeira.

E só pra não perder o hábito, musiquinha pra embalar nossa criatividade/motivação/disciplina:

 

Pega a bic preta e pinta umas bolinhas.

Beijos!

TALITA JAMES

Anúncios

5 thoughts on “Eu não passo em concurso porque não tenho material…

  1. Oi Talita estou adorando seus posts… queria dar uma sugestão de post, vc podia contar um pouco sua história de como vc passou em concursos, quanto tempo estudou, que ano formou, as dificuldades, em quais concursos vc passou e qual está trabalhando atualmente… acho que seria bacana! As vezes vc comenta algo por alto e acabei ficando curiosa…

    obs: ótimo gosto musical!

    bjs!!

    Liked by 1 person

  2. Adorei a postagem, as menções: do mimizento e do “Ain, Talita, miabrassa! :________(“. Muito boa a reflexão sobre as desculpas de alguns em relação a posse e a disponibilidade de recurso financeiro, na contrapartida de formas alternativas de se conseguir materiais com qualidade e a gratuidade que o meio eletrônico já oferta há bastante tempo!

    É possível fazer isso sendo norteado pelos próprios editais com bibliografia recomendada e as próprias provas que sinalizam nas questões, as fontes eletrônicas – a lista acima ilustra muito algumas – e autores, como diria a Thalita com “h”, que até se repetem se formos mapear um número maior de provas!
    Gostei do relato dobre as redes de colaboração e quem quiser o compartilhamento de um dossiê ou sobre como fazê-lo, pode contar comigo no compartilhamento de alguns materiais via google drive!!

    A título de colaboração e de identificação com a postagem, estou doando para o SB sortear entre seus leitores, a obra de Edinei Procópio – A revolução dos ebooks e recomendando a leitura do resumo da obra de Liliana Giusti Serra – Livro digital e Bibliotecas : http://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/viewFile/462/404

    Parabéns pela postagem Talita… Se uma Thalita na Santa Biblioteconomia já era fonte de motivação… Agora com duas! Ficou ainda melhor !!!

    Foco sempre e aos “mi mi mis” de alguns, muita criatividade, motivação e acima de tudo a disciplina!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s